sábado, 12 de janeiro de 2008

Three... Extremes [Segment "Cut"]

Autor: Alan Caxito Ongaro

Nome: THREE... EXTREMES [SEGMENT "CUT"] - 2004


Elenco: Byung-hun Lee; Hye-jeong Kang; Won-hie Lim.

Diretor: Chan-wook Park

Three... Extremes é uma reunião de três curtas sobre o melhor do horror no cinema asiático. Temos o representante do Japão - "BOX" do excelente diretor Takashi Miike; o representante da China - "DUMPLINGS" do diretor Fruits Chain. E o que mais importa para nós do Cine Korea: o representante Coreano - "CUT" do mestre absoluto do cinema Sul-Coreano Chan-wook Park. E é exatamente sobre esse seguimento chamado CUT que irei tratar nessa resenha.

O filme começa com um close em um rosto pálido de um senhor, logo após vemos uma vampira sugando o sangue do pescoço do homem. A vampira recebe uma ligação e leva uma conversa de vampiro para vampiro em seu celular. Então ela deixa o celular de lado e começa a tocar piano para o vampiro na outra linha. Ela diz que está passando mal, pois talvez o sangue que ela havia acabado de ingerir deveria ter passado da validade, vemos ela rastejar e sufocar com uma tosse descontrolada. Quando a câmera se afasta e nos mostra que tudo não passava de um filme! Vemos o diretor do filme (Byung-hun Lee) em primeiro plano quando ele diz: "And... CUT!" (E... CORTA!)


Vemos então, ele conversando com as pessoas no estúdio e dirigindo-se para fora do set e depois entrando em seu carro. Enquanto estava aparentemente à caminho de sua casa ele conversa com sua esposa no celular, dizendo que ela deveria ter visto o set de seu filme, pois se parece muito com a casa deles. A câmera abre e vemos que existe uma mulher ao seu lado no banco do passageiro. Chegando em sua casa sozinho, ele estaciona o carro na garagem e adentra o recinto, podemos ver então que realmente sua casa é idêntica ao set de filmagem de seu filme de vampiros.

Vemos ele caminhar pela cozinha, preparar uma vitamina e dirigir-se para uma porta quando derrepente a energia da casa acaba. Percebemos que existe alguém mais em sua casa pois a vitamina é totalmente tomada e uma barulho estranho de satisfação é feito. Então ao acender um isqueiro ele é atacado por um estranho e desmaia, acordando amarrado e encarando um cenário surreal.


Sua esposa (Hye-jeong Kang) está totalmente amarrada à um piano por várias cordas e seus dedos estão sendo colados pelo invasor (Won-hie Lim) nas teclas de um piano. O diretor então diz ao invasor que ele pode levar todo o dinheiro e jóias. O invasor por sua vez começa um jogo mental com o diretor; vestindo-se de médico, soldado, nadador com pés de pato; bombeiro... enquanto representa os papéis com pequenas falas.

O diretor fica sem entender nada e simplesmente fica paralisado com aquela situação. Então subitamente o invasor avança em direção a esposa do diretor dizendo: "Camera, Action! and... CUT!" (Camêra, Ação! e... CORTA!) e simplesmente golpeia e arranca fora um dos dedos da mão da esposa do diretor usando uma machadinha. O diretor então fica transtornado, mas finalmente lembra-se do rosto do invasor. Ele é um extra! um figurante de filmes. O invasor então confirma inclusive afirmando ter participado de todos os seus filmes!

O invasor diz ter invadido sua casa e feito ele e a esposa de reféns pois o mundo estava totalmente fudido, e o diretor além de ser um homem rico, bonito, bem educado e bem sucedido era uma pessoa boa. E isso é algo ináceitavel! pois só os pobres são pessoas boas, os ricos não o são!. Então para tentar fazer o jogo do louco invasor, o diretor começa a dizer que não é uma pessoa totalmente boa, pois já fez várias coisas ruins, inclusive trair sua esposa. O invasor então propõe uma série de testes em que o diretor deve provar ser uma má pessoa. Caso contrário sua esposa perderá um dedo de cada vez!

Direção impecável, roteiro extremanete inteligente e subversivo, ótimas atuações (principalmente de Won-hie Lim), além de uma fotografia e um cenário que são um caso a parte, fazem desse curta-metragem um dos melhores trabalhos de Chan-wook Park!

Camera, Action! and... CUT!

Nota: 10.00/10.00

Um comentário:

Diogo Giglio disse...

Tô seco pra ver esse filme... Miike E Chan-wook num mesmo trabalho. Loucura total! :0P