domingo, 9 de dezembro de 2007

A Bittersweet Life

Essa resenha é cortesia do blog:
http://cinema-para-todos.blogspot.com/

Nome: A BITTERSWEET LIFE (O GOSTO DA VINGANÇA) - 2005

Elenco: Byung-hun Lee, Min-a Shin, Jeong-min Hwang, Ku Jin, Yeong-cheol Kim, Roe-ha Kim, Gi-yeong Lee.

Diretor: Ji-woon Kim
Trailer: Youtube

O filme é dirigido por Ji-Woon Kim, que fez o ótimo filme de suspense sobrenatural misturado com drama que é o A Tale of Two Sisters (Medo). Ele é um filme de ação noir, com clima pesado, escuro, sombrio, um Scarface coreano. Conta a história de Sun-woo (Byung-hun Lee) excelente no papel, um gerente de Hotel e Guarda-costas que trabalha para o Mr. Kang (Yeong-cheol Kim) à sete anos, portanto, de enorme confiança para o chefão. Sun-woo é um sujeito solitário e de poucas palavras e logo no começo vemos ele em ação. Enquanto está se alimentando no Restaurante La Dolce Vita (Uma alusão ao título do filme, ou seja, Uma doce vida), ele é chamado para resolver um problema na parte inferior do hotel, expulsando os indivíduos que estavam fazendo a confusão na porrada. Logo vemos do que ele é capaz.




No outro dia, Sun-Woo é chamado pelo Mr.Kang para falar um assunto particular: Quer que ele investigue sua namorada Hee-soo (Min-a Shin, que fez também o filme Volcano High: A Escola do Poder), uma violinista que pode estar se encontrando com um jovem rapaz às escondidas e Sun-woo deveria espiar a garota durante três dias, enquanto o chefão viaja à negócios para Shangai. Nesse momento lembramos de outro filme de enorme sucesso: Pulp Fiction: Tempos de Violência, sendo Sun-woo o Vincent Vega e a Hee-Soo a mulher do chefão, Mia Wallace, cuidando da garota a pedidos do chefe. A vida do Sun-woo é muito limitada, não tendo espaços para felicidade. Quando está relaxado, logo é chamado para entrar em ação.

Nos encontros com Hee-soo ele passa a ir para restaurantes com ela, ver suas aulas de violino ou apenas dar um passeio, enquanto tenta saber se ela realmente está traindo o Sr. Kang. Depois de um incidente na casa da Hee-Soo a vida de Sun-woo nunca seria a mesma. Além dessa trama, estão envolvidos nela também o capanga Mun-Suk, que resolve as confusões do chefe quando o Sun-woo não está presente, Sr. Baek (Jeong-min Hwang) que está fazendo negócios com o Mr. Kang e seu capanga Mu-Sung (Gi-yeong Lee), que serve como mensageiro de seu chefe.



Sun-woo leva uma surra enorme, tem a mão ferida (Em uma cena bem chocante e violenta) e é enterrado vivo, sendo que consegue subir à superfície, munido de uma fúria incontrolável. Logo, vai partir para a vingança contra quem fez isso com ele. Não vou dizer os motivos da fúria do anti-herói do filme para não estragar partes importantes da trama. Só digo que a vingança do Sun-woo vai deixar um rastro de sangue grosso no caminho por onde ele passar. O filme tem elementos tanto tarantinescos, quanto até uma influência de John Woo nas cenas de ação. O filme é, como vimos, um filme de vingança, como a trilogia de Chan-wook Park, mas, semelhante ao filme Sympathy for Mr. Vengeance, a vingança é mais crua e direta, sem firulas. Byung-hun Lee cria um anti-herói casca-grossa, e que simpatizamos com ele. Sun-Woo é um personagem complexo.

A trilha sonora é excelente, com trechos de músicas de Chopin até. Além disso, o final do filme é bem poético e romântico. É um filme de ação, mas envolve drama e romance na medida certa. É um ótimo exemplo dessa safra do novo "boom" de filmes coreanos e é bastante recomendado para fãs de Old Boy e filmes de máfia. Fiquem de olho no diretor Ji-woon Kim. Recomendado!!!



NOTA: 08.00/10.00 (Cinema Para Todos)
NOTA: 08.50/10.00 (Cine Korea)

Nenhum comentário: